terça-feira, 8 de agosto de 2017

PF diz que a senadora Gleisi Hoffmann e o marido Paulo Bernardo, cometeram crime de corrupção passiva

A Polícia Federal (PF) informou, em nota, que a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR); seu marido, o ex-ministro Paulo Bernardo (PT-PR), e mais três pessoas cometeram crime de corrupção passiva qualificada e lavagem de dinheiro qualificada após concluirem um inquérito no Supremo Tribunal Federal instaurado para apurar crimes praticados na campanha eleitoral para o Senado em 2014. Gleisi, Paulo Bernardo e mais duas pessoas também são acusadas de crime eleitoral.

Na foto a Senadora Gleisi Hoffmann com seus aliados políticos André Vargas, Enio Verri, Lula, Zeca Dirceu e Osmar Dias


A nota foi divulgada ontem (7) no site da Polícia Federal. “Em fevereiro 2016, a PF apreendeu documentos na residência de uma secretária do setor de operações estruturadas da construtora Odebrecht. Entre eles, planilhas relatando dois pagamentos de R$ 500 mil cada a uma pessoa de codinome 'Coxa', além de um número de celular e um endereço de entrega”, diz a nota.

Segundo a nota, a investigação identificou que a linha telefônica estava no nome de um dos sócios de uma empresa que prestou serviços de propaganda e marketing na última campanha da senadora Gleisi Hoffmann. “A PF verificou outros seis pagamentos no mesmo valor, além de um pagamento de R$ 150 mil em 2008 e duas parcelas de R$ 150 mil em 2010. Também foram identificados os locais onde os pagamentos foram realizados e as pessoas responsáveis pelo transporte de valores.” As tabelas foram apresentadas pela Odebrecht quando foi firmado o primeiro acordo de delação premiada da construtora.

A Polícia Federal concluiu que, pela investigação, há elementos suficientes para “apontar a materialidade e autoria dos crimes de corrupção passiva qualificada e lavagem de dinheiro praticados pela senadora, seu então chefe de gabinete, Leones Dall Agnol, e seu marido, Paulo Bernardo da Silva, além dos intermediários no recebimento, Bruno Martins Gonçalves Ferreira e Oliveiros Domingos Marques Neto. Os autos também comprovam que a parlamentar e seu marido, juntamente com Benedicto Barbosa da Silva Júnior e Valter Luiz Arruda Lana, foram responsáveis pelo cometimento de crime eleitoral”.


Em nota, a assessoria da senadora afirma que "a defesa entende que não há elementos nos autos que autorizem a conclusão alcançada pela Polícia Federal. Não foi praticada qualquer irregularidade pela senadora".

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Ratinho Júnior é o preferido do eleitor paranaense

Segundo o Instituto Paraná Pesquisa, Ratinho Júnior seria o preferido dos paranaenses em todos os cenários pesquisados para o governo do Estado. Foram ouvidos 2.207 eleitores entre os dias 2 e 5 de julho de 2017 em 63 municípios do Paraná. Grau de confiança de 95%, margem de erro de 2 pontos porcentuais, para mais ou para menos. 


A maior rejeição é do atual senador Roberto Requião com 39,7%.

Cenário 1 - (sem Roberto Requião e com Osmar Dias)

Ratinho Junior: 36,7%
Osmar Dias: 34,2%
Nenhum: 15,6%
Não sabe: 7%
Cida Borghetti: 6,5%

Cenário 2 - (Todos juntos)

Ratinho Junior: 29,4%
Roberto Requião: 24,9%
Osmar Dias: 24,3%
Nenhum: 10,5%
Não sabe: 4,6%
Cida Borghetti: 4,2%
Ênio Verri: 2,1%

Cenário 3  - (sem Osmar Dias e com Roberto Requião)

Ratinho Junior: 38,3%
Roberto Requião: 31,5%
Nenhum: 17,3%
Cida Borghetti: 7,3%
Não sabe: 5,6%

Em Pato Branco, aulas de robótica promovem conhecimento e despertam a criatividade

O Município de Pato Branco, por meio da Secretaria de Educação e Cultura e da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação, promove aulas e oficinas de robótica para os alunos da Rede Municipal desde 2015. O objetivo é levar para a rotina escolar desses alunos os conceitos de robótica, oportunizando, de forma participativa e lúdica, que as crianças possam construir seus próprios robôs e realizarem a programação dos mesmos.

No primeiro momento, a oficina de robótica foi ofertada apenas a alunos dos 5º anos. Neste ano, ela passou a ser realizada, também, na Escola Municipal de Artes, contemplando os alunos do Tempo Integral, ampliando assim o público atendido em mais faixas etárias.

“Agora, o projeto possui uma sala estruturada para a atividade, um ambiente específico para as aulas de robótica, dando melhores condições de aprendizagem para as crianças”, frisa a secretária municipal de Educação e Cultura, Heloí Aparecida De Carli. Há, ainda, uma turma na Escola Municipal Gralha Azul, atendendo crianças que residem na região Sul da cidade.

Desde 2015, o Município de Pato Branco tem investido em aulas de robótica como parte do ensino da Rede Municipal de Educação

O responsável pelas aulas é o chefe da Divisão Científica e Tecnológica, Alexandre Ferreira de Souza. Ele conta que na metodologia utilizada, as crianças aprendem o passo a passo, nos mínimos detalhes. “Inicialmente, faço uma introdução do que é robótica, quando foi inventada e como ela funciona. Após apresentar o conceito, exemplifico com coisas da rotina deles, como as máquinas de lavar roupa. Depois disso, apresento um robô de movimento, que se desloca em diversas direções”, frisa.

Com base nesse robô, as crianças conhecem cada um dos componentes, a funcionalidade das peças, dos fios e o que é necessário para que o arduíno funcione. “Após esse conceito geral, utilizando o computador, elas realizam a programação para que o robô faça o que elas querem”, conta Alexandre.

Outro momento importante, de acordo com o professor, é quando as turmas decidem a identidade e a aparência que cada robô terá, pois nesse momento ele deixa de ser algo fantasioso e distante, passando a ser um objeto que o aluno construiu. “Com isso, os alunos percebem que eles podem, conseguem fazer e, a partir disso, as possibilidades são ilimitadas, pois eles têm a certeza de que podem criar qualquer coisa”, pontua Alexandre.

O desafio é construir um robô diferente em cada turma, em que a coletividade é trabalhada com as crianças. “O processo todo também engloba o trabalho em grupo, o consenso, entender o que é opinião comum e a votação para decidirem, em conjunto, qual será a identidade do robô. A socialização acontece em todo momento”, comenta o professor, que ressalta, ainda, que a oficina desenvolve a coordenação motora, pois os movimentos do robô são programados pelos alunos, em que também são aplicados conceitos de lateralidade.

A atividade envolve diferentes faixas etárias, estimula a criatividade e a inovação, a médio e longo prazo. Somente na Escola de Artes, Alexandre atende mais de 300 alunos, o que, na opinião dele, favorece o processo criativo, pois quanto menor a criança, menos ela pensa nas dificuldades ao propor algo, já que sua imaginação não tem limites. “A criança que participa dessa oficina e que, mesmo com tão pouca idade entende que a robótica pode fazer parte da vida dela, na adolescência já poderá se tornar um empreendedor, porque entenderá que aquilo faz parte do futuro”, completa Alexandre.

Robótica para as crianças

Roberta Luiza Langaro de Andrade, 11 anos, aluna do 5º ano da Escola Municipal Pequeno Príncipe, diz que está achando muito interessante aprender sobre robótica. “A gente vê e quer saber como tudo funciona, para aprender e poder fazer. Também é bom trabalhar em grupo e nos acertarmos para conseguir fazer algo legal”, afirma Roberta.

Arthur Antonio Motta Hopsizinski, 10 anos, aluno do 4º ano da Escola Municipal José Fraron, explica que quis aprender para poder construir seus próprios robôs. “Quero inventar e fazer eles do meu jeito, com as coisas que eu acho legal”, diz.

Júlia de Lima Lucchesi, 9 anos, aluna do 4º ano da Escola Municipal Maria Jurema Ceni, já frequentou outras oficinas que a Escola de Artes oportuniza e conta que o interesse nesta surgiu após participar de uma atividade onde Alexandre estava apresentando os robôs e mostrando às crianças como controlá-los, utilizando o tablet que recebeu na escola.

“Além de aprender a fazer os robôs, é bom porque aprendemos a lógica e também a termos paciência, tanto para construirmos quanto para escutarmos a opinião dos colegas e chegarmos a um entendimento”, ressalta Júlia.

Segurança Pública aceita proposta de Kosmos e Guto para nova delegacia de Palmas

Em reunião com o secretário de Estado da Segurança Pública, Wagner Mesquita, nesta semana, o deputado estadual Guto Silva (PSD) e o prefeito de Palmas, Doutor Kosmos (PEN), avançaram na proposta de construir um centro de custódia, aumentar o número de agentes responsáveis pela detenção e delegacia do município, em local separado das celas dos presos.

“A ideia é fazer com que todo atendimento à população ocorra separado do local da detenção, para garantir mais segurança e eliminar os riscos de tentativas de rebelião com reféns”, adiantou o parlamentar.

A proposta foi bem recebida pelo secretário da Segurança Pública, que destacou a disposição da Prefeitura em viabilizar imóvel para a delegacia. “Tendo em vista o apoio da Prefeitura, não podemos deixar de apoiar esse esforço”, afirmou Mesquita.

O projeto elaborado pelo prefeito foi desenvolvido com consultoria das autoridades de Segurança locais, que avaliaram inclusive as formas de acesso. “Estamos tomando todas as providências para que a Segurança Pública possa atuar de forma efetiva sem riscos para a população”, detalhou Kosmos.

Secretário Wagner Mesquita de Oliveira, adianta apoio à proposta de carceragem separada da delegacia de Palmas em reunião com prefeito e deputado

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Em sessão solene, Coronel Puchetti receberá título de Cidadão Honorário de Pato Branco

Ponto Crítico com Assessoria

A Câmara Municipal promove sessão solene na segunda-feira (24) às 19h30, para outorgar ao Coronel Éveron César Puchetti Ferreira, o titulo de Cidadão Honorário de Pato Branco.

Puchetti ingressou na PMPR em fevereiro de 1986, oriundo do Colégio da Polícia Militar. Atualmente possui mais de 30 anos de serviços prestados. Foi comandante do 3º Batalhão da Polícia Militar, que é responsável pelas atividades de polícia ostensiva de manutenção da ordem pública em 15 municípios da microrregião, sua relação sempre próxima do cidadão, fez com que Puchetti fosse rapidamente reconhecido como cidadão patobranquense. Como comandante do 3º BPM, dentre inúmeras ações que auxiliaram a diminuir a criminalidade, Puchetti é um dos idealizadores da implantação do sistema de monitoramento Pato Branco “on line”. São 32 câmeras instaladas em 26 pontos estratégicos do município, em áreas de grande concentração de pessoas, praças, regiões comerciais e vias com maior tráfego de veículos. 

Para o Coronel Éveron Cesár Puchetti Ferreira, é muito natural que os moradores de uma cidade queiram que ela seja próspera e agradável. “Quando aqui cheguei em fevereiro de 2012, encontrei um lugar maravilhoso para viver com minha família. Como policial, me esforcei para tornar a vida nesta cidade ainda melhor. Ao lado de valorosos policiais que aqui estavam, combatemos incessantemente o mal, colaborando humildemente para que a Capital do Sudoeste seja alegre, próspera, acolhedora e segura”! 

Descendente de italianos e portugueses cresceu em são José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba, cidade onde trabalhou como Oficial da Polícia Militar em três oportunidades. Foi Tenente e Capitão no 17º Batalhão de Polícia Militar e também como Capitão serviu no Batalhão de Polícia Ambiental – Força Verde. Possui bacharelado em administração.

Puchetti também é pós-graduado em nível de especialização em: Administração Policial pela Universidade Federal do Paraná; Gestão Estratégica de Segurança Pública pela Universidade Estadual da Bahia; Administração e Gestão de Manutenção Aeronáutica pela Universidade Tuiuti do Paraná e em Política e Estratégia pela Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra.

Frequentou como aluno e ministrou na qualidade de professor diversos cursos de atualização profissional dentro e fora da corporação. É professor titular da Academia Policial Militar do Quatupê das matérias de tiro policial em defesa da vida e táticas para confrontos armados. Foi condecorado com muitas homenagens de corporações policiais de vários estados da federação e forças armadas, e possui diversas medalhas de reconhecimento da polícia militar.

Iniciou sua carreira no Batalhão de Polícia de Trânsito; foi Comandante da Companhia Independente de Polícia de Guarda; e como Oficial Superior foi Chefe da Divisão de Transporte e Manutenção/Transporte Aéreo, da Casa Militar da Governadoria, Chefe da Comunicação Social da Polícia Militar e até janeiro de 2012, chefiava o Estado Maior do 6º Comando Regional de Polícia Militar, regional responsável pelas atividades de policiamento na região metropolitana de Curitiba, litoral e sistema penitenciário.

Coronel Puchetti exerce atualmente na capital do Estado, a função de Diretor de Tecnologia, Desenvolvimento e Qualidade da PMPR


quinta-feira, 13 de abril de 2017

‘Qualquer concurseiro pode ser juiz’, diz Requião

O senador Roberto Requião do PMDB do Paraná, mais uma vez tenta deslegitimar a imagem dos juízes no Brasil. Esta semana em seu Twitter ele afirmou que não precisa de muito para ser um. Fala nitidamente que na sua concepção para ser um magistrado, o candidato deveria ser de uma GENÉTICA diferenciada e não “qualquer” cidadão que tenha se matado de tanto estudar para conseguir passar no concurso! “Não há uma linhagem geneticamente diferenciada. Qualquer concurseiro pode ser juiz.” Afirma o Senador Roberto Requião.

Nos comentários do blog do Fábio Campana, podemos ver alguns desabafos em relação a esta triste postagem feita por Requião, que muitos afirmam, estar completamente maluco.

Sergio 
AVISA ELE QUE QUALQUER IDIOTA PODE SER SENADOR. 

Gisleyne Luzia 
É verdade, igual qualquer mentiroso e loco pode ser Senador! 

Lucão 
Verdade a frase do senador. Mas… ele poderia incluir também que qualquer irmão pode sewr CVonselheiro do Tribunal de Contas…. tá certo que não deu como planejado. Mas há semelhanças… 

SYLVIO SEBASTIANI 
É VERDADE, O REQUIÃO ESTÁ CORRETO, COMO QUALQUER MENTIROSO POE SER PREFEITO, GOVERNADOR E SENADOR, É SÓ DIZER QUE FOI DO “MDB” NA ÉPOCA DIFÍCIL DA DITADURA MILITAR! 

Dionleno Silva 
E qualquer vagabundo pode ser político… 

Benjamin Button 
Com certeza, talvez por nunca ter sido concurseiro é que o Senador Maluco nunca foi juiz. Pelo menos se diz formado em Direito. 

Azedo 
Errado. O Toffolli não conseguiu e levou bomba duas vêiz! hahahaha 

Jorge 
Não é qualquer concurseiro senador canalha. só ± um entre 100 é que passam. Qualquer incompetente pode ser superintendente do porto de Paranaguá e roubar. basta ter um irmão com poder para nomear. 

Carlos Ernandes 
Inadmissível um senador eleito pensar assim. Tenho filha juíza, que honra a magistratura brasileira, que, aliás, estudou muito para o concurso, e hoje serve ao país com honra. É preciso urgente, pelo voto, virar a página desses péssimos políticos como Requião. Canalha! 

CELSO BONFIM 
“Tenham paciência com a ‘Maria Louca’. Ele ainda não foi ao médico fazer os exames periódicos. Com certeza depois que for a dose do remédio será aumentada. Está vendo que o seu ciclo de maldades contra o Estado do Paraná está chegando ao fim. Triste fim de uma figura jurássica da politica Paranaense…” – Profº Celso Bonfim 

JOHAN 
Caro FÁBIO, não há muito mais a dizer do pobre, senil, febril Senador PINÓQUIÃO. A sorte dos paranaenses foi a de não ter o leviano PINÓQUIÃO como juiz. Ele não caberia na capa. Não julgues a magistratura como julgas um senador. Pelos últimos senadores apresentados a sociedade paranaense, qualquer bate pau de praça, com recursos da ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA PETISTA comprando votos dos petistas poderia ser eleito. Calma PINÓQUIÃO, o seu sofrimento como SENADOR da REPÚBLICA está acabando, faltam mais alguns meses, e ficará de fora para sempre. Poderá dirigir-se a Santa Catarina em seu carro novo e aproveitar as praias catarinenses, pois lá ninguém te conhece. Já vai tarde. Atenciosamente., . . 

Luiz 
Está na hora dos paranaenses virarem a pagina desse comedor de semente de mamona, Maria louca. 

A CULPA É DO FHC 
REQUIÃO FAÇA UM CONCURSO PARA JUIZ!! APOSTO QUE VOCÊ NÃO PASSA DE 15 ACERTOS EM UMA PROVA DE 100 QUESTÕES.

ALIÁS, PARA PASSAR NA PRIMEIRA FASE O CANDIDATO DEVE ACERTAR PELO MENOS UMAS 85 QUESTÕES.

TENTA REQUIÃO”” VAI LA; FAÇO O DESAFIO!! VOCÊ NÃO É ADVOGADO??? LEGISLADOR?? SABIDÃO!!

VAI CARTA DE PUEBLA, BAIXA OU ACABA!

SE VOCÊ ACERTAR MAIS QUE 15 QUESTÕES PAGO UMA GARRAFA DE SEU VINHO PREFERIDO – CHATEAU LAFIT 

LCK 
Requião esta com toda razão.
Os neoconcurseiros do nosso servil Judiciário querem salvar a Nação ganhando em média 60 salários mínimos por mês. 

Moisés Fróes 
E qualquer pilantra, bandido, analfabeto, ladrão, tosco, cavalo, pode ser governador e senador, igual você, né Requião? 

Mari 
Ué, mas os políticos não enaltecem um país onde os direitos são iguais. Então, todos tem o direito de fazer concurso e, ao passar, serem juízes. Infelizmente as oportunidades não são iguais, porque nem todo mundo consegue estudar a ponto de prestar concurso, seja para qual cargo for. Lamentável senador, seu preconceito achando que tem que ser dazelite para ser juíz!!! 

Sergio Silvestre 
Malandro que cursa direito e olhe que tem muitos podem sim virar Juizes bem malandros como prolifera no Brasil. 

Luiz Antonio 
Pura verdade, assim como qualquer imbecil pode ser Prefeito, Governador ou Senador. 

Jonas 
“Qualquer concurseiro pode ser juiz”. Qualquer um, não. Tem que ser dos melhores, pois a concorrência é altíssima e os concursos para a magistratura são dificílimos. Se a mesma regra se aplicasse ao provimento de cargo de senador, com certeza nosso Senado seria melhor representado e não teríamos que ouvir asneiras como essa. 

FUI !!! 
A cada dia que se passa mais entristece os Paranaenses de bem que “nunca” votaram neste louco. Atirar pedra em uma classe tão respeitada como a dos Juizes é simplesmente catastrófico. Se entre eles existe algum desnorteado faz parte da margem de erro. Até Jesus teve um. Ainda bem que o fim do mandato da dupla Requião e Gleisi está chegando ao fim. Nem vale a pena hostilizar. Vale a pena esquecer… 

JÁ ERA... 
O velhaco Requião já deveria estar no spam há muito tempo. 

PEREGRINO 
Errado!!!, ele “r”equião tentou ser juiz e não conseguiu, foi ser senador…. declaradamente despeitado e desejoso de desqualificar quem ainda irá condená-lo!
Patético!!!! Vergonhoso!!! Infame!!!! Tenho vergonha desse gentinha, que se acha melhor que outros, não pensam que apenas com esse ato declaram quem realmente são, “nada”…..Que DEUS os repreenda.

Requião foi citado em delação

Matérias da última quarta-feira (12) de alguns blogs paranaenses, apontavam o senador Roberto Requião como um dos poucos políticos a não estarem envolvidos em denuncias de corrupção, mas pelo visto os blogueiros não andam lendo muito, ou agem mesmo em defesa do senador.

O senador Roberto Requião (PMDB) postou memes nas redes sociais onde procura se livrar dos escândalos que atentam boa parte dos políticos brasileiros. Requião joga contra a memória da opinião pública, mas vale lembrar que o senador já foi delatado em dezembro passado pelo ex-presidente da Transpetro Sergio Machado (PMDB) como um dos beneficiários das doações feitas pela JBS em 2014. Só da empresa envolvida na Operação Carne Fraca, Requião recebeu R$ 2,9 milhões (parcelas de R$ 400 mil, R$ 500 mil e R$ 1,5 milhão). Mas não é só a carne que fedeu para o lado de Requião. A Operação Lava Jato prendeu o banqueiro André Esteves, dono do Banco Pactual, outro megadoador da campanha do peemedebista em 2014. Na disputa do Governo do Estado, Requião levou R$ 1 milhão do banqueiro e outros R$ 500 mil do Bradesco. Esteves foi preso em novembro envolvido na compra do silêncio do ex-senador Delcídio Amaral (ex-PT), um dos delatores da Lava Jato.

A Lava Jato também preocupa Requião. Em duas campanhas, 2010 ao Senado e 2014 ao Governo do Estado, Requião recebeu dinheiro das empreiteiras envolvidas e investigadas pela operação coordenada pelo juiz Sérgio Moro. A Galvão Engenharia repassou R$ 150 mil para o senador em 2010 e a OAS outros R$ 500 mil em 2014.

Requião foi delatado ainda pelo auditor fiscal Luiz Antônio de Souza, acusado de comandar a corrupção na Receita Estadual entre 2003 e 2010. E também denunciado na Justiça por assinar contrato e aditivos irregulares na fiscalização dos pedágios no Paraná – o desvio, conforme a denúncia, é de R$ 40 milhões. “Depois de mais de três denúncias, Requião já pode pedir música no Fantástico”, atenta o ex-governador Orlando Pessuti, do grupo de desafetos do senador no Paraná.

Ainda falando de Requião, na semana passada os senadores Roberto Requião (PMDB-PR) e Lindbergh Farias (PT-RJ) visitaram os petistas João Vaccari Neto e José Dirceu no Complexo Médico Penal, em Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. O ex-ministro da Casa Civil e o ex-tesoureiro do PT estão presos na penitenciária por conta das investigações da Lava Jato.

Requião foi governador do Paraná. Questionado se era conveniente visitar os presos, sendo o relator do projeto de abuso de autoridade, ele disse: “E por que não?”

Já o senador petista disse ao blog que fez uma “visita humanitária” a Vaccari e Dirceu. E negou que tenham tratado de Lava Jato.

Meu Twitter

@JR_Venon